quinta-feira, 14 de abril de 2016

Em Belém, nação Munduruku apresenta documento da sua última assembleia

100 caciques refletiram sobre o futuro do povo Munduruku
 
Entre os dias 01 a 07 de abril, aconteceu na aldeia Katõ, município de Jacareacanga/PA, a 26ª Assembleia Geral da Nação Munduruku no Pará, com a participação de 550 indígenas, representando aproximadamente 120 aldeias.


Os grandes desafios impostos na atualidade aos povos indígenas do Brasil e, em especial, a nação Munduruku no Pará, fez desta uma das mais importantes assembleias dos últimos tempos. Vários pontos foram discutidos, como a questão da saúde e educação indígena; a situação de fragilidade da FUNAI; as pendencias na demarcação e reconhecimento dos territórios Munduruku e, principalmente, os projetos do governo federal para a construção de cinco usinas hidrelétricas nos rios Tapajós e Jamanxim: São Luiz do Tapajós, Jatobá, Cachoeira do Caí, Jamanxim e Cachoeira dos Patos.

Participaram desta assembleia mais de 100 caciques, centenas de guerreiros e guerreiras, além de pajés, crianças e idosos, e suas deliberações representaram os anseios e desejos de 13 mil indígenas Munduruku que vivem no Pará.


No final da assembleia, foi produzida uma carta ao povo e ao governo brasileiros onde a nação Munduruku diz, entre outros, que não vai aceitar nenhuma hidrelétrica nos rios da região.

Este documento histórico e demais posicionamentos da nação Munduruku serão apresentados em coletiva de imprensa, no dia 14 de abril, em Belém/PA, cinco dias antes da data comemorativa do dia do índio no Brasil.


Serviço:

Coletiva de imprensa: apresentação dos resultados e decisões da 26ª Assembleia Geral da Nação Munduruku
DIA: 14 de abril de 2016 (Quinta-feira)
LOCAL: Auditório do MPF, Rua Dom Romualdo de Seixas, 1476, Edifício Evolution.
HORA: 8:30h

0 comentários: