segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

O quintal da senhorinha


Flores enfeitam a copa do pé de pitomba. Após uma poda drástica a mangueira retoma a forma antiga.  O jambeiro está em rejubilo. Carregado, frondoso e imponente. Toma um canto do quintal de uma da casa de uma senhorinha. A árvore lembra a beleza de uma mulata do Lan.

O quintal da senhorinha abriga ainda laranjeira, limoeiro, uma árvore que lembra um pé de cupuaçu, palmeira de pupunha, noni e flores que desconheço.

No mamoeiro carregado passarinhos fazem carnaval fora de época. Abrigam-se no interior do fruto no café da manhã.   

Quem não anda bem de saúde é o pé de graviola. Ele tem galhos escuros. Os frutos nascem, chegam a ganhar forma e logo definham, ficam escuros e caem.

A senhorinha lembra a minha mãe. Tem o corpo franzino. É pequena. Bem magrinha. Ela cria galinhas e cães. Lembra a Hilda exilada em seu sítio apinhado de gatos.

Toda manhã a solitária senhora fala com os bichos. Raia com eles ao servir o café da manhã a eles.

Não sei o nome dela, que toda tarde quando não chove toma sol na calçada.

1 comentários:

Maria Trindade disse...

O verde da copa do jambeiro parece espraiar-se dando a impressão de que toma todo o quintal....e se propaga para além-fronteiras.